terça-feira, 29 de junho de 2010

Feira da Wizo + Falafada do Dror = Festa!

Será no próximo domingo, a partir das 10h30 da manhã, no Colégio Israelita Brasileiro!

Barraquinhas com aquelas comidas judaicas de Idishe Mome, além do tradicional almoço organizado pela Wizo. Para aqueles que preferem a tradição israelense, o Habonim Dror, novamente, passará a madrugada trabalhando na produção DAQUELE famoso falafel. Uma grande oportunidade para você que não esteve na Festa na Rua de provar o alimento mais consumido em Israel!

Então anote na sua agenda: domingo, dia 4 de julho, a partir das 10h30 até as 18h, no Colégio Israelita Brasileiro. Aproveita!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Gilad Shalit - Jovem completará quatro anos preso

Um garoto, recém integrado ao exército israelense, de uma hora para outra, não sabe o que é liberdade. Gilad Shalit completará 4 anos sem ver os seus pais, sem pisar em sua pátria, sem passear com os seus amigos, sem viver uma vida normal.

O dia 25 de junho de 2006 jamais foi esquecido pelos cidadãos israelenses. Em um ataque ao Kerem Shalom, na Faixa de Gaza, militantes do grupo Hamas sequestraram Gilad e, até hoje, exigem a libertação de milhares de palestinos, presos por crimes de guerra, em troca do jovem soldado.

Se pensarmos de forma lógica, numericamente, a troca ultrapassa a injustiça. Porém, Gilad representa muito mais do que uma vida, Gilad simboliza milhares de jovens que, anualmente, se alistam ao exército e cumprem, no mínimo, três anos de serviço militar. Por isso, o governo israelense segue batalhando. Em comunicado oficial, o primeiro ministro Byniamin Netanyahu chegou a oferecer a libertação de 1000 terroristas, mas não obteve resposta alguma (Guysen.International.News).

O filho do Estado de Israel. Assim é considerado Gilad Shalit. Como bons pais, através de passeatas, protestos e negociações, os israelenses tentam reverter a situação que, nesse momento, com muita tristeza, ainda é de total impotência.

Clique aqui e assista ao show de Shlomo Artzi em homenagem a Gilad Shalit

Gustavo Schwetz

terça-feira, 22 de junho de 2010

Almoço Gaudério Judaico

Sabe aquele domingo, em que você encontra pessoas especiais, que fizeram parte da sua vida em algum momento? Em que você almoça com elas, coloca a conversa em dia, relembra grandes momentos?

O grupo Coach Neurim, das Na'amat Pioneiras, pensando nesse momento, organizou um evento que você não vai querer perder! Um almoço gaudério, com danças tradicionalistas, no Club Campestre Macabi!

Será no próximo domingo, dia 27 de junho, às 12h30.

Para garantir o seu ingresso, basta ligar para 3311-0822.

OBS: Você pode aproveitar, também, para assistir a abertura do Torneio Chapa Quente, outro marco da comunidade judaica. Mas isso já é assunto para um próximo post! Aproveita!!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sababah em construção!

Galera, a dificuldade de postar nos últimos dias tem um motivo que, em minha opinião, é completamente justificável! A quarta edição da Sababah está ficando pronta...

Para que você possa compreender o processo de elaboração da edição impressa da Sababah, leia as instruções abaixo:

* Voluntários que trabalham como indivíduos remunerados, editando textos, marcando entrevistas, contribuindo na diagramação!

* Indivíduos remunerados que colocam todos os seus esforços e energia para elaborarem uma revista que seja a sua cara!

* Colunistas que devemos agradecer todos os dias por termos conosco, tanto aqueles que participam de apenas uma edição, como aqueles que sempre acreditaram no potencial da Sababah e seguem, desde a primeira edição, criando materiais maravilhosos!

Nesse exato momento, toda essa galera está focada em apenas um objetivo: a estruturação e os últimos retoques, para que o material que chegar em suas mãos seja o melhor!

Prometo atualizar o blog com mais frequência a partir da semana que vem! Continue aproveitando!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Show histórico do grupo Kadima! Compre já o seu ingresso!

Sabe aquelas oportunidades consideradas únicas, imperdíveis? Então, um desses momentos está chegando em Porto Alegre...

Dia 3 de julho, no teatro da Reitoria da UFRGS, os grupos Kadima, de Porto Alegre e Agshamá, da Argentina, apresentarão coreografias que marcaram públicos de diversas gerações. Você não pode ficar de fora desse momento! Adquira o seu ingresso com os dançarinos ou entrando em contato com a Fundação Kadima, através do telefone: 33118238 ou do email: Kadima@terra.com.br

Aproveita!

terça-feira, 8 de junho de 2010

Loja Kenyon: importadora de artigos judaicos em Porto Alegre

Especializada na importação e criação de artigos judaicos, as Lojas Kenyon surgiram há, mais ou menos, 2 anos e meio em Porto Alegre. Entretanto, nos últimos meses, após uma reestruturação, a companhia tem crescido e passa a ser uma bela opção, caso você procure objetos de decoração, artesanato, talit, tefilin, mezuzá e produtos para o Shabat.

Há também a possibilidade de você encomendar artigos para as festas judaicas, como: Bar e Bat Mitzvá, Brit Milá e cerimônias de casamento.

Todos os produtos judaicos possíveis, diretamente de Eretz Israel! Como tudo que diz respeito ao judaísmo interessa a Sababah, caso você eseteja interessado nesses objetos, fica a dica!

A loja Kenyon fica na rua Germano Petersen Junior, 625 (mapa logo abaixo). Você pode entrar em contato através do telefone 33711888 ou pelo email limorl@hotmail.com

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Mais informações sobre a situação em Israel

Um email enviado por Ana Luisa Tapia, Brasileira que, há 2,5 anos fez Aliá (se mudou) para Israel, revelou um outro ponto de vista sobre o fato ocorrido na última segunda feira, na entrada da Faixa de Gaza. Abaixo do email, outro vídeo disponibilizado pelo exército israelense. Leia e assista! Se a mídia em geral não revela o outro lado do conflito, nós revelaremos.

"Oi a todos!!

Primeiro quero agradecer a todos os e-mails preocupados. Eu estou bem, ótima. Eu peço desculpas por não escrever mais frequentemente, mas no exército é assim. Não temos tempo para nada.

Sei que todos já estão cansados de ouvir falar do que aconteceu em Gaza nesta semana, mas como ouvi muitas asneiras por aí, resolvi contar a vocês a minha versão da história. Eu não quero que pensem que virei alguma ativista ou algo do gênero. Eu continuo a mesma Ana de sempre. Mas por ter feito parte desse episódio, não posso me abster de falar a verdade dos fatos.

EU ESTAVA LÁ! NINGUÉM ME CONTOU. NÃO LI NO JORNAL. NÃO VI FOTOS NA INTERNET OU VÍDEOS NO YOUTUBE. VI TUDO COMO FOI MESMO, AO VIVO E COM MUITAS CORES.

Como vocês sabem, eu estou servindo com médica na medicina de emergência do exército de Israel, departamento de trauma. Isso significa: medicina em campo.

4:30h da manhã de segunda-feira: meu telefone do exército começa a tocar. Possíveis conflito em Gaza? Pedido de ajuda da força médica, garantir que não faltarão médicos. Minha ordem: aprontar-me rapidamente e pegar suprimentos, o helicóptero virá me buscar na base.

No caminho, me explicam a situação. Há um navio da ONU tentando furar a barreira em Gaza. Li todos os registros fornecidos pela inteligência do exército (até para entender o tamanho da situação).

- O navio se aproximou da costa a caminho de Gaza. O acordo entre Israel e a ONU é que TODOS os barcos devem ser inspecionados no porto de Ashdod em Israel e todos os suprimentos devem ser transportados pelo NOSSO exército a Gaza. Isso porque AINDA HOJE, cerca de 14 mísseis tem sido lançados de Gaza contra Israel diariamente. E não podemos permitir que mais armamento e material para construção de bombas seja enviado ao Hamas, grupo terrorista que controla gaza. Dessa forma, evitamos uma nova guerra. Ao menos por agora.

- O navio se recusou a parar. Disseram que eles mesmo entregariam a carga a Gaza.

- Assim, diante de um navio com 95% de civis inocentes (os outros 5% são ativistas de grupos terroristas aliados ao Hamas, que tramaram toda essa confusão), Israel decidiu oferecer aos comandantes do navio que parassem para inspeção em alto mar. Mandaríamos soldados para inspecionar o navio e se não houvesse armamento ele poderia seguir rumo a Gaza. ESSA FOI UMA ATITUDE EXTREMAMENTE PACIFISTA DO NOSSO EXÉRCITO, EM RESPEITO AOS CIVIS QUE ESTAVAM NO NAVIO. E, SE NÃO HÁ ARMAMENTO NO NAVIO, QUAL É O PROBLEMA DE QUE ELE SEJA INSPECIONADO?

- Os comandantes do navio concordaram com a inspeção.

5:00h - Minha chegada em Gaza. Exatamente no momento em que os soldados estavam entrando nos barcos. E FORAM GRATUITAMENTE ATACADOS: tiveram suas armas roubadas, foram espancados e esfaqueados. Mais soldados foram enviados, desta vez para controlar o conflito. Cerca de 50 pessoas se envolveram no conflito, 9 morreram. Morreram aqueles que tentaram matar nossos soldados, aqueles que não eram civis pacifistas da ONU, mas sim militantes terroristas que comandavam o grupo. Todos os demais 22 feridos entre os tripulantes do navio, foram ATENDIDOS E RESGATADOS POR NÓS, EU E MINHA EQUIPE E ENVIADOS PARA OS MELHORES HOSPITAIS EM ISRAEL.

- Entre nós, 9 feridos. Tiros, facadas e espancamento. Um deles ainda está em estado gravíssimo após concussão e 6 tiros no tronco. Meninos entre 18 e 22 anos, que tinham ordem para inspecionar um navio da ONU e não ferir ninguém. E não o fizeram. Israel não disparou nem o primeiro, nem o segundo tiro. Fomos punidos por confiar no suposto pacifismo da ONU. Se soubéssemos a intenção do grupo, jamais teríamos enviados nossos jovens praticamente desarmados para dentro do navio. Ele teria sim sido atacado pelo mar. E agora todos os que ainda levantam a voz contra Israel estariam no fundo mar.

- Depois de atender os nossos soldados, me juntei a outra parte da nossa equipe que já cuidava dos tripulantes. Mesmo com braceletes dizendo MÉDICO em quatro línguas (inglês, turco, árabe e hebraico) e estetoscópios no pescoço, também a nós eles tentaram agredir. Um deles cuspiu no nosso cirurgião. Um outro deu um soco na enfermeira que tentava medicá-lo. ALÉM DE AGRESSORES, SÃO TAMBÉM INGRATOS.

- Eu trabalhei por 6 horas seguidas atendendo somente tripulantes do navio. Todo o suprimento médico e ajuda foram oferecidos por Israel.

- Depois do final da confusão o navio foi finalmente inspecionado. LOTADO DE ARMAS BRANCAS E MATERIAL PARA CONFECÇÃO DE BOMBAS CASEIRAS. ONDE É QUE ESTÁ O PACIFISMO DA ONU???

- Na terça-feira, fui visitar não só os nossos soldados, mas também os feridos do navio. Essa é a política que Israel tenta manter: nós não matamos civis como os terroristas árabes. Nós não nos recusamos a enviar ajuda a Gaza. Nós não queremos mais guerra. MAS JAMAIS VAMOS PERMITIR QUE MATEM OS NOSSOS SOLDADOS.

Só milionário idiota que acha lindo ser missionário da ONU não entende que guerra não é lugar para civis se meterem. Havia um bebê no barco (que saiu ileso, obviamente): alguém pode explicar por que uma mãe coloca um bebê em um navio a caminho de uma zona de guerra? Onde eles querem chegar com isso? ELES NÃO ENTENDEM QUE FORAM USADOS COMO FERRAMENTA CONTRA ISRAEL, E QUE A INTENÇÃO NUNCA FOI ENVIAR AJUDA A GAZA E SIM GERAR POLÊMICA E CRIAR AINDA MAIS OPOSIÇÃO INTERNACIONAL. E CONTINUAM SEM ENTENDER QUE DAR FORÇA AO TERRORISMO DO HAMAS, DO HEZBOLLAH OU DO IRÃ SÓ SIGNIFICA MAIS PERIGO. NÃO SÓ A ISRAEL, MAS AO MUNDO TODO.

E o presidente Lula precisa também entender que desta guerra ele não entende. E QUE O BRASIL JÁ TEM PROBLEMAS DEMAIS SEM RESOLVER. TEM MAIS GENTE PASSANDO FOME QUE GAZA. TEM MUITO MAIS GENTE MORRENDO VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA NO RIO DO QUE MORTOS NAS GUERRAS DAQUI. E PASSAR A CUIDAR DOS PROBLEMAS DAÍ. DOS DAQUI, CUIDAMOS NÓS.

Eu sempre me orgulho de ser também brasileira. Mas nesta semana chorei. De raiva, de raiva de ver que especialmente no Brasil, muito mais do que em qualquer outro lugar, as notícias são absolutamente destorcidas. E isso é lamentável.

Não me entendam mal. Eu não acho que todos os árabes são terroristas. MAS SEI QUE QUEM OS CONTROLA HOJE É. E que esta guerra não é só contra Israel. O Islamismo prega o EXTERMÍNIO de TODO o mundo não árabe. Nós só somos os primeiros da lista negra.

Por favor encaminhem este e-mail aos que ainda não entendem que guerra é guerra e que os terroristas não são coitadinhos.

Eu prometo escrever da próxima vez com melhores notícias e melhor humor. Tenho algumas boas aventuras pra contar.

Um beijo a todos

Shabat Shalom

Ana"

sexta-feira, 4 de junho de 2010

I got tefilin

Assista! O vídeo é demais!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Informações sobre o que ocorreu em Israel

O bom jornalismo é aquele que mostra ao seu público os dois lados de uma história, sem justificar qualquer um desse lados. Infelizmente, a situação existente em Israel após um conflito entre o exército israelense e um navio que, segundo a imprensa, tinha fins humanitários, não obteve a cobertura ideal. Clicando no link abaixo, você poderá entender aquilo que não foi reportado pelos veículos de comunicação: o lado do Estado de Israel.

Material realizado pela Juventude Judaica Organizada (JJO)

Vale lembrar que, com a divulgação desse material, queremos apenas mostrar um lado diferente sobre o que aconteceu. A partir do que foi divulgado na mídia internacional e do conteúdo disponibilizado acima, tire as suas próprias conclusões.

Loading...