segunda-feira, 31 de maio de 2010

Excessos da vida

Crônica a respeito das relações humanas. Você entenderá!

A vida, às vezes, parece estar perfeita. De repente, um pequeno erro é capaz de transformar a sua existência em um grande desastre. Assim ocorre em amizades, namoros e nos ambientes de trabalho.

Você faz tudo visando o bem estar de todos que estão a sua volta. A diplomacia pode ser tão boa. Você é querido por todos, tem o seu trabalho admirado pela maioria.

Alguns invejam, mas esse sentimento também conta como admiração. Após algum tempo, você decide se destacar entre os outros diplomatas. Quer fazer algo que muitos tentam, mas não conseguem.

Aproxima-se de uma pessoa com ideias polêmicas, revolucionárias, contrárias aos princípios dos outros. Tudo começa com um ato diplomático. Um aperto de mão. Os acordos se intensificam. Mesmo assim, parece não ser nada. Poucos acreditam que você, amado pelo mundo, que ama o mundo todo também, defenderá alguém contrário ao universo. A mania de perseguição é tanta, que o sujeito decide negar o maior massacre dos últimos tempos. Ele acredita que foi tudo uma invenção do povo massacrado. Você não acredita nisso. Acredita que aquela pessoa não quis dizer o que falou para quem quisesse ouvir. Você, até então um diplomata carismático, passa a ser contestado.

Você decide, então, ajudar o seu mais novo companheiro a melhorar o seu comportamento. Quem sabe assim, as pessoas deixam de pensar que ele é um monstro. Para você, ele não é. O seu outro amigo, respeitado por muitos, temido pela maioria, tenta alertá-lo. Você não ouve. Acredita que está mudando a cabeça da sua amizade mais recente. Não está. O discurso dele se modifica quando não está na sua frente. Só você que não sabe disso. A sua outra parceria, muito mais poderosa que você, decide agir. Eis que surgem as famosas sanções. O fim parece ser desastroso. E assim ocorre em todas as relações humanas. Quando tudo parece correr bem, um excesso pode ser fatal. Lula se excedeu.

Gustavo Fridman Schwetz

quarta-feira, 26 de maio de 2010

A charge que representa a relação entre Brasil e Irã

Charge de Persio Bider, Presidente da Juventude Judaica Organizada, grande colaborador da Sababah!

terça-feira, 25 de maio de 2010

A lendária Festa na Rua está chegando!

Aquele momento em que todas as entidades se reúnem em um mesmo local, vendendo comidas típicas e artigos judaicos, com apresentações de grupos de dança israeli e bandas, se aproxima! A festa será no Bom Fim!

No próximo domingo, dia 30 de maio, entre às 9h30 e às 18h, todos estão convidados para confraternizar e se divertir, reencontrando antigos amigos e assistindo as atrações da Festa na Rua. Esse ano, haverá uma atração especial...

Você lembra no ano passado, quando alguns vídeos foram disponibilizados em nosso blog? Uma figuraça entrevistava a galera da comunidade, muito engraçado? Pois é! A Festa na Rua será a estreia da Sababah TV em 2010! Apareça por lá e, quem sabe, você poderá ser entrevistado(a) pelo Rogerinho!

Esperamos você! Aproveita!

Fotos da Iom Haatzmaut Party

Quem estava lá, viu. A Iom Haatzmaut Party, festa organizada pelo Ofakim que ocorreu no dia 20 de maio no Campestre, foi um sucesso! Claro que a Sababah marcou presença e tirou várias fotos. Aproveita!

E não fique triste se você não apareceu em alguma dessas fotos. Na próxima edição da Sababah tem mais!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Matéria publicada na revista Viaje Mais sobre Israel

A Jornalista que escreveu a matéria abaixo, Natália Manczyk, é leitora assídua da Sababah e enviou o matérial para nós! Aos que não conhecem Israel, é possível aprofundar o conhecimento. Aos que já visitaram os locais descritos abaixo, um momento nostalgia também é válido! Aproveita!

Israel

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Voca People

É impressionante o que esse grupo de israelenses consegue fazer apenas com os sons da própria vóz! O Voca People esteve em Porto Alegre na semana passada, em show realizado no Teatro do Sesi.

Eles se apresentam como seres extra-terrestres, vindos do planate Voca. A única forma de comunicação dessas criaturas é a música. Quer saber o resultado dessa ideia maluca e muito criativa? Assista ao vídeo abaixo e se surpreenda. Aproveita!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Iom Haatzmaut Party - É nesse sábado!

Vai bombar! É a festa que todos estão falado, que a galera aguarda ansiosamente. Como o post oficial já está lá embaixo, vale a pena relembrar! Adquira o seu ingresso o mais rápido possível. Já estamos no segundo lote! Aproveita!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Nós, os alieníginas

Texto retirado do site www.pletz.com, escrito por Alexandre Ostrowiecki. A realidade do conflito no Oriente Médio e a repercussão disso em países leigos como o Brasil. Não se assuste com o parágrafo inicial!

“Havia uma terra árabe feliz, em que a maioria islâmica convivia pacificamente com outras religiões. Essa terra se chamava Palestina. No entanto, a partir do século XIX, um movimento colonialista e racista chamado Sionismo decidiu transplantar europeus para a Palestina, matando e expulsando os habitantes originais. Esse movimento eventualmente conseguiu formar o Estado de Israel, um Pais agressor e expansionista que de guerra em guerra foi aumentando cada vez mais de tamanho às custas dos verdadeiros nativos. O que os judeus sofreram durante a Segunda Guerra Mundial agora infligem aos palestinos.”

Em linhas gerais, o parágrafo acima é um resumo do que a propaganda palestina vem martelando dia apos dia em escolas e universidades pelo mundo afora. Segundo essa versão, não há ligações prévias do povo judeu com a terra de Israel, não existem indícios de que os judeus buscaram a paz ao longo dos anos, não existem erros palestinos, pecados palestinos, somente uma luta maniqueísta entre o bem (eles) e o mal (nós). É como se o conflito do Oriente Médio, um dos mais complexos do mundo, fosse reduzido a historias de invasão de alienígenas.

E a versão esta “colando”. Recentemente estive na ESPM dando palestra sobre o assunto para um grupo de estudantes de relações internacionais. Eu era o segundo palestrante. Duas semanas antes havia ido um primeiro palestrante, trazendo a versão palestina do conflito. Segundo os professores, havia mais de 50 alunos participando. Quando chegou a hora de escutar um pouco do outro lado (nós), havia apenas 6 alunos, praticamente dez vezes menos.

Essa falta de interesse em ouvir o outro lado é preocupante. Já não é fácil equilibrar esse debate com as deficiências que temos hoje, como a falta de gente qualificada, a vantagem que os palestinos tem em imagens e a parcialidade escancarada das esquerdas. Se somar-se a isso o desinteresse mesmo em escutar o que temos a dizer o desafio cresce exponencialmente.

O antídoto para o veneno precisa ser dado com firmeza e distribuído para todo lado. Ao conversar com os alunos de relações internacionais da ESPM percebi que havia um completo desconhecimento por parte deles a respeito de qualquer ligação prévia dos judeus com a terra de Israel. Em uma faculdade para jovens de alta classe social, no curso especialmente voltado para questões internacionais, eles não tinham idéia a respeito da história da região. Ao longo da conversa, percebi que não basta iniciar a narrativa com o surgimento do sionismo. Em todas as palestras e debates anteriores, eu entendia que na questão do Oriente Médio deve-se manter a discussão dentro do período entre o final do século XIX e os dias de hoje. Descobri que isso é um erro estratégico. É fundamental mostrar o máximo de ligações prévias dos judeus com a terra de Israel pois do contrário a legitimidade de existir um Estado judeu lá fica comprometida.

Contei a eles que os judeus são um dos povos mais antigos do mundo, que há mais de 3000 anos já havia um Estado judeu em Israel, que a terra de Israel é sagrada para nós, que Jerusalém é mencionada centenas de vezes na Bíblia e foi fundada por judeus, que nós rezamos voltados para Israel e muitas outras coisas. Nada disso eles tinham a menor idéia. Isso cristalizou firmemente neles a noção de que Israel não é somente um pedaço de terra para nos e sim que é O pedaço de terra.

Contrastei respeitosamente com o fato de que os árabes só chegaram lá muitos séculos depois (século VII) e que obtiveram a terra através de conquista sangrenta (indo por água abaixo, portanto, o mito do “bom nativo”). Falei também que o Alcorão não menciona nenhum lugar de Israel e que nunca houve um estado independente palestino. Deixei claro que nada disso tira a legitimidade das reivindicações nacionais palestinas, mas que esses fatos tornam absurdas as alegações da propaganda extremista de que os árabes e somente eles têm ligações legítimas com a terra. Percebi que essas afirmações tiveram impacto significativo nos alunos.

Outro ponto muito perguntado foi a respeito do anti-semitismo europeu e o Holocausto. Apesar de muitos já terem ouvido falar no Holocausto, pouca gente têm uma noção clara da magnitude daquele horror e seu impacto sobre o pensamento judaico. Expliquei aos alunos que o Holocausto basicamente foi um projeto executado pela Alemanha nazista para exterminar em escala industrial o povo judeu inteiro. Contei que o projeto iniciava separando judeus do restante através de leis cada vez mais restritivas, que iam tornando os judeus uma população excluída, que continuou amontoando a população judaica em guetos e depois em campos de concentração, onde idosos e crianças eram liquidados imediatamente e adultos eram transformados em escravos até o momento do abate.

Enquanto o mundo olhava indiferente, o projeto do Holocausto seguia em frente, eventualmente matando noventa por cento dos judeus em que os alemães conseguiram por as mãos. Não é fácil para um jovem cristão em um País como o Brasil entender o que significa ser abandonado pelo mundo, completamente indefeso, diante de tal barbárie. No entanto, ao saber mais sobre o Holocausto, tive a sensação de que os alunos puderam compreender porque Israel pode às vezes passar a imagem de ser militarista e responder violentamente às ameaças. Citei Golda Meir quando ela disse “prefiro receber críticas a receber condolências”. Ficou claro que a experiência do genocídio aliado à indiferença mundial fez os judeus entenderem claramente que só podemos recorrer a nós mesmos. O fato de Israel estar localizado no meio de um mar de árabes hostis não ajuda nada a tornar o País mais dócil.

Entender que a história dos judeus está naquela terra é um pilar para apoiar Israel. Entender que o Holocausto tornou a existência do Estado judeu indispensável é outro pilar.

A guerra da contra-propaganda é longa e árdua, mas não podemos abrir mão dela. A perseguição aos judeus se baseia na repetição de mentiras aos ignorantes. Se ninguém contestá-las, as mentiras tornam-se verdades.

terça-feira, 11 de maio de 2010

A Arca de Noé e os dias de hoje

Uma equipe de exploradores sino-turcos acreditam ter encontrado restos da Arca de Noé. Tais descobertas permitem uma pergunta: será que uma nova catástrofe não se aproxima?

Temos sinais de sobra. Terremotos, Tsunamis, tempestades, vulcões em erupção e furacões, são cada vez mais comuns ao redor do mundo. O homem e suas inúmeras ações de poluição e destruição do meio ambiente é o grande responsável pelo aquecimento global e, consequentemente, pelas tragédias naturais.

A época em que Noé habitava o Planeta Terra era semelhante. A maldade se multiplicava em alta velocidade. A humanidade não temia a D'us, não apresentava mais compaixão e amor ao próximo. Será que estes são muito diferentes dos seres que reinam sobre o Planeta em 2010?

Precisamos pensar muito para apontarmos um justo entre nós...Preocupante. O mundo em que vivemos necessita de mudanças urgentes. Caso contrário, talvez a criação de uma nova Arca seja a melhor solução.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A união para o fortalecimento da comunidade

O evento ocorrido na última sexta feira, dia 7 de maio, na Sinagoga Linat Hatsedek, deve ser considerado um marco para a comunidade judaica gaúcha. O Shabakim chegou para ficar, animou e emocionou mais ou menos 200 jovens no shabat com sushi kasher e cerveja.

A popularidade dos atrativos é indiscutível. Os jovens dos dias de hoje são movidos por sushi e cerveja. A esmagadora maioria adora pelo menos um dos itens. Entretanto, quem esteve na cerimônia sabe que o papel exercido pelos atrativos foi coadjuvante. Os ingredientes principais? Uma sinagoga lotada de juventude, danças e músicas, dançadas e cantadas por todos em meio ao Shabat e um discurso emocionante do rabino Daniel Presman.

A união de entidades judaicas, opostas em ideologia, mas com um mesmo objetivo, conquistado com êxito naquela noite: a criação de um evento para os jovens que querem estar presentes novamente em eventos comunitários, que desejam reencontrar amigos antigos e conquistar novas amizades. Jovens judeus que não querem abandonar o judaísmo.

A organização e divulgação do grupo Ofakim não pode, de forma alguma, ser esquecida. O rabino Daniel, após exaltar o valor dessa nova parceria, falou sobre a importância das entidades judaicas se unirem. Afinal, apesar das diferenças ideológicas, somos todos judeus e lutamos por um mesmo propósito: a continuidade e o crescimento da comunidade judaica.

Quando todos já estavam comendo e bebendo, uma música tomou conta do ambiente: "Henei ma tov umanaim Shevet achim gam yachad" (Quão bom e agradável é que os irmãos vivam em comunhão). Todos que estavam presentes começaram a cantar. Um momento em que o orgulho de ser judeu e a felicidade em estar presente no evento se misturaram. Que isso seja apenas o começo...

Um rabino e sua comunidade

Um novo rabino pousou em Porto Alegre. Muitos elogios foram ouvidos sobre a sua pessoa, mas poucos tiveram a oportunidade de conversar com Pablo Iugt, o novo rabino da sinagoga centro Israelita.

Com certeza, muitos estão curiosos para saber quem é o mais novo líder da nossa comunidade, quais são os seus pensamentos e aspirações. Por isso, o departamento cultural do grupo Na'amat Pionerias convida você para ouvir o que ele tem a dizer.

A palestra ocorrerá no dia 25 de maio, terça feira, às 19h, no auditório da federação israelita (Rua gen, João Telles, 329). Para poder assistir, basta contribuir com um quilo de alimento não perecível. Aproveita!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Como administrar suas finanças pessoais - Palestra no Colégio Israelita para você!

O Colégio Israelita Brasileiro, pensando em seus ex alunos, está trazendo o palestrante Leandro Rassier (Veja o currículo logo abaixo) para falar sobre as melhores formas de cuidar dos seus bens materiais. O evento será gratuito e ocorrerá no dia 20 de maio (quinta feira), às 18h30, no Auditório do Colégio.

É a união perfeita do útil ao agradável. Uma palestra interessante, que pode contribuir para o seu crescimento e você pode aproveitar e (re) conhecer o local que já foi a sua segunda casa! Aproveita!

Currículo de Leandro Rassier: Diretor Acadêmico Regional da XP Moinhos, mestre em Finanças, especialista em Administração Financeira e Mercado de Capitais, consultor de investimentos e professor dos cursos de graduação e pós-graduação da PUCRS e ULBRA. Autor do livro "Entenda o Mercado de Ações".

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Iom Haatzmaut Party - Venha Lavan sua alma!

Já havíamos pedido que vocês reservassem essa data em suas agendas. Agora, é com muita alegria que confirmamos a realização da festa mais esperada do ano!

Bebida liberada, gente bonita e muita alegria! Não necessariamente em ordem de importância, essas serão as principais atrações da Iom Haatzmaut Party! E TODOS, sem exceção, devem estar de branco!

Detalhes que você deve saber e que devem convencê-lo a não ficar de fora dessa festa sob hipótese alguma:

Open Bar: cerveja, vodka, suco e energético!

Local: Club Campestre Macabi

Data (já marcada em sua agenda): 15/05/2010, sábado!

Valor do ingresso: primeiro lote - R$ 30,00, segundo lote - R$ 35,00, terceiro lote - R$ 40,00

O evento será judaico! Faça parte da nossa comunidade!

Aproveita!!

terça-feira, 4 de maio de 2010

Sábado Incrível no Habonim Dror!

O próximo sábado promete ser inesquecível na sede do Habonim Dror. Isso Porque os Madrichim do movimento juvenil estão armando diversas atrações para os seus chanichim. Grave esse dia: 8 de maio. Se você é chanich, não perca essa oportunidade. Aos pais do chanichim, levem os seus filhos. Será inesquecível!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Shabakim - O sushi Kasher está de volta!

Para a alegria de todos, o Kabalat Shabat com Sushi está de volta! Muitos sentiram falta do evento que chegou a reunir quase 200 jovens na sinagoga Linat Hatsedek no segundo semestre do ano passado.

Em 2010, o projeto Kiruv firmou uma parceria que promete agitar a comunidade! O grupo Ofakim também está organizando o evento. Convenhamos: é impossível que não seja um sucesso.

Outro acrécimo é a cerveja liberada. O que falta???

A sua presença, é claro! Aproveita!

Israel frente aos novos desafios

Uma palestra imperdível para quem quer saber o que está acontecendo em Israel. A realidade. José Benarroch, Vice-Presidente para América Latina, Espanha e Portugal do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Hebraica de Jerusalém estará em Porto Alegre para tratar esse tema. Marque em sua agenda: dia 6 de maio, quinta feira, às 19h30, no auditório da FIRS.

Saiba um pouco mais sobre o palestrante:

José Benarroch

Nacido 1943, Lisboa

Idiomas: Hebreo, Español, Ingles, Francés, Portugués, Italiano

Formação Primaria e Secundaria

Lisboa (São João de Deus), Barcelona (Lycée Français), Genève (Ecole Internationale), Carcavelos – Portugal (St. Julian's School)

Validação de estudos por Bachallerato Espanhol e Pre-Universitario (Bilbao)

Formação Acadêmica

1962-3 - Primeiro año de Dereito na Complutense, continuação (1963-66) na Universidade Hebraica de Jerusalém

Cargos desempenhados

2009 – Vice-Presidente Adjunto para América Latina, Espanha e Portugal

2002 – 2009 - Director do Departamento para América Latina, Espanha e Portugal do Departamento de Relações Exteriores da Universidade Hebraica de Jerusalém

1990 – 2000 – Fundador e Director do Grupo Editorial "Línea Directa con Israel"

1966 -1990 –Ministerio de Relações Exteriores de Israel. Período de serviço en Singapur (Segundo Secretario, 1969 – 72), Etiopia (Ministro Plenipotenciario, 1975- 78), Roma (Primeiro Secretario, 1978 – 80) e México (Ministro Conselheiro – 1984-87).

Actividade Extra – Curricular

1999 – 2004 – Presidente da Asociacion de Amistad Israel – España

2000 – 2001 – Miembro da equipe fundadora do Foro União Europeia – Israel (criado pelo então Embaixador Especial da UE para o Oriente Médio, JM. Moratinos)

1990 – 2006 – Membro do Rotary Club (Presidente, Herzlia 1995-96, Presidente Jerusalém 2003 – 04)

sábado, 1 de maio de 2010

Lag B'Omer no Beit Lubavitch!

É hoje! Uma Fogueira e muita música esperam você na comemoração de Lag B'omer do Beit Lubavitch! Quer saber mais?? Dá uma olhada no flyer abaixo! Aproveita!

Loading...